SEJA UM SEQUIDOR DO BLOG DO ACS ROBERTO

quinta-feira, 7 de julho de 2011

O presidente DO CNM reafirma: “é uma irresponsabilidade aprovar da forma como está, O piso salarial nacional para agentes comunitários de saúde!



Se o texto do projeto que defini um piso salarial nacional para agentes comunitários de saúde for aprovado da forma como está, os Municípios terão custo adicional de R$ 1,7 bilhão por ano”. A constatação é do presidente da Confederação Nacional de Municípios (CNM), Paulo Ziulkoski, que participa na manhã desta terça-feira, 5 de julho, de audiência pública na Câmara dos Deputados.

O encontro agendado pela Comissão Especial, que vai analisar a definição de um piso salarial nacional para agentes comunitários de saúde e agentes de combate às endemias, também recebe representantes do governo e técnica jurídica.

De acordo com o Projeto de Lei 7.495/2006, serão criados 5.365 empregos públicos de agentes de combate às endemias na Fundação Nacional de Saúde (Funasa), o que é uma incoerência já que as atividades de controle de doenças não são mais de sua competência. Outras dezoito propostas apensadas regulamentam essas atividades, entre elas o PL 6.111/2009, que estabelece o valor do piso salarial nacional da atividade de agente comunitário de saúde e de combate às endemias em R$ 930 para profissionais com formação fundamental.

Na reunião desta manhã no auditório Nereu Ramos, Ziulkoski vai mostrar aos parlamentares o impacto dos projetos nos Municípios brasileiros. O presidente reafirma: “é uma irresponsabilidade criar novos encargos para os Municípios sem indicar a fonte de financiamento, e sem avaliar a desorganização administrativa nos planos de carreiras, cargos e salários dos Municípios, ferindo a autonomia do ente municipal”.

Íntegra da proposta:
•PL-7495/2006
•PL-6111/2009




fonte:cnm

Nenhum comentário:

Postar um comentário

FAÇA UMA PERGUNTA AO ACS ROBERTO!

MATERIAS DO BLOG DO ACS ROBERTO