SEJA UM SEQUIDOR DO BLOG DO ACS ROBERTO

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Os líderes governistas da Câmara apresentaram hoje ao governo uma proposta alternativa para a fixação de um piso nacional dos agentes comunitários de saúde.


 
Pressionados a evitar a aprovação de projetos com impactos financeiros, os líderes governistas da Câmara apresentaram hoje ao governo uma proposta alternativa para a fixação de um piso nacional dos agentes comunitários de saúde.

A ideia é que o teto seria aplicado apenas a partir de 2014, teria um valor de R$903 e não seria estabelecida uma política de reajuste anual na proposta.A saída costurada pelos líderes foi debatida com os ministros Ideli Salvatti (Relações Institucionais) e Miriam Belchior (Planejamento) e deve ser levada amanhã à presidente Dilma Rousseff.

Foto: OS DIRETORES DA FENAAC JUNTAMENTE COM OS DIRETORES DA CONACS DISCUTEM O PLANO DE TRABALHO PARA A VOTAÇÃO DO PISO QUE ESTA PREVISTO PRA SER VOTADO AMANHÃ PELA CÂMARA. 
A proposta cria o piso nacional para os agentes comunitários em saúde, profissionais que trabalham com a prevenção de doenças, sob supervisão do SUS. A proposta original estabelece um piso salarial de R$950 e uma política de reajuste. Atualmente, esse valor é repassado pela União, mas segue uma portaria do Ministério da Saúde, e muitos municípios não repassam o valor integral para os agentes.

O governo resiste ao projeto porque determina reajustes anuais de acordo com o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) e aumento real durante três anos com base na variação do PIB (Produto Interno Bruto). A proposta dos líderes é que o governo repasse para os municípios R$1.012 -sendo obrigatório o piso de R$903 e o resto seria para cobrir encargos sociais. Uma política de reajuste seria discutida de 2015 Pros .

Nenhum comentário:

Postar um comentário

FAÇA UMA PERGUNTA AO ACS ROBERTO!

MATERIAS DO BLOG DO ACS ROBERTO